top of page

Cristo Redentor

CRISTO REDENTOR.jpg

Literalmente de braços abertos, o Cristo Redentor, no morro do Corcovado, recebe diariamente milhares de turistas de diversos lugares do mundo. É necessário subir 700 metros do nível do mar para, enfim, chegar ao pico onde está a estátua que é cartão postal da cidade. O Cristo Redentor fica dentro do Parque Nacional da Tijuca e existem duas maneiras de chegar: nas vans autorizadas do Paineiras, que saem de diversos pontos do Rio, e no trem do Corcovado.

Roda Gigante Yup Star

Roda Gigante Yup Star.jpg

O Rio de Janeiro tem a segunda maior roda-gigante da América Latina com 88 metros, perdendo apenas para a de São Paulo com seus 91 metros. Chamada de Yup Star, ela proporciona uma vista diferenciada da Cidade Maravilhosa, ainda que não seja a mais bonita comparada às demais possíveis por lá como do Cristo Redentor ou Pão de Açúcar. Da mesma forma, vale a visita pelo passeio e por estar em uma das mais altas rodas gigantes do mundo. De lá é possível aproveitar para visitar outras atrações que estão perto como o AquaRio e o Museu do Amanhã.

Pão de Açúcar

pão de açúcar.jpg

O Bondinho do Pão de Açúcar está entre os principais pontos turísticos do Rio de Janeiro e foi inaugurado em 1912, sendo o primeiro teleférico do Brasil e o terceiro no mundo. Ele liga o Morro da Urca ao Morro do Pão de Açúcar – e mais de 40 milhões de pessoas já andaram nos bondinhos.


Lá do alto é possível encontrar uma deslumbrante paisagem da cidade, incluindo a enseada de Botafogo, a orla de Copacabana e a entrada da Baía de Guanabara. Vale a pena colocar um dos cartões postais da cidade no seu roteiro.

Parque Nacional da Tijuca

parque nacional da tijuca.jpg

O Parque Nacional da Tijuca é uma unidade de conservação brasileira de proteção integral da natureza localizada integralmente na cidade do Rio de Janeiro.

Entre os pontos turísticos do parque, trilhas, grutas e cachoeiras, encontram-se marcos famosos da cidade, como a Pedra da Gávea, o Corcovado, e o Pico da Tijuca, ponto mais alto do parque, elevando-se 1 022 metros acima do nível do mar. De relevo montanhoso, inclui áreas do Maciço da Tijuca.

Arcos da Lapa

arcos da lapa.jpg

A Lapa é um bairro do Rio de Janeiro conhecido por ser boêmio e vibrante, com diversos bares tradicionais, casas noturnas com música ao vivo, salões de dança e rodas de samba ao ar livre abaixo dos Arcos da Lapa, um aqueduto em estilo romano que você deve aproveitar para fotografar.

Há opções para todos os bolsos. É possível tomar um copão de caipirinha comprando em barraquinhas de rua por R$ 15, como você também pode pedir o drink em algum bar mais arrumadinho por ali.

Parque Lage

parque lage.jpg

O Parque Lage do Rio de Janeiro está localizado aos pés do Morro do Corcovado e encanta com seus 52 hectares de puro verde, programas culturais e arte.

Sua estrutura é bem bonita, sem contar a paisagem cercada de muito verde e animais nativos da Mata Atlântica. O parque tem entrada gratuita, inclusive para os vários macaquinhos que livremente transitam por lá.

Museu do Amanhã

museu do amanha.jpg

O Museu do Amanhã foi inaugurado em dezembro de 2015 e já recebeu mais de 3 milhões de visitantes até então, aparecendo entre os mais queridos pontos turísticos do Rio de Janeiro. Ele é voltado para ciências e tecnologia, explorando as oportunidades e os desafios que a humanidade terá de enfrentar nas próximas décadas a partir das perspectivas da sustentabilidade e da convivência.

Maracanã

maracanã.jpg

Cenário de grandes clássicos do futebol mundial, o Maracanã já recebeu tantos momentos históricos que virou ponto turístico no Rio de Janeiro. Entre eles, o milésimo gol de Pelé em 1969, que aconteceu no templo do futebol brasileiro.

Se você gosta de futebol, é importante colocar no seu roteiro. É possível comprar a visita guiada ou simplesmente assistir a uma partida, que também já possibilita o acesso e garante a emoção de ver uma partida oficial. Dê preferencia a jogo em dia de clássico carioca para sentir a emoção!

Jardim Botânico

jardim botanico.jpg

O Jardim Botânico do Rio de Janeiro foi fundado em 13 de junho de 1808. Ele surgiu de uma decisão do então príncipe regente português D. João de instalar no local uma fábrica de pólvora e um jardim para aclimatação de espécies vegetais originárias de outras partes do mundo.

Hoje o Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro – nome que recebeu em 1995, é um órgão federal vinculado ao Ministério do Meio Ambiente e constitui-se como um dos mais importantes centros de pesquisa mundiais nas áreas de botânica e conservação da biodiversidade.

Lagoa Rodrigo de Freitas

lagoa rodrigo de freitas.jpg

A Lagoa Rodrigo de Freitas possui mais de 7 km de ciclovia, portanto é só aproveitar! O legal é que conforme você vai passando e pedalando, vai conhecendo ângulos diferentes e lindíssimos do local. Sem contar que vai passar por todo tipo de gente: casais, pessoas fazendo caminhada, gente deitada na grama com fone de ouvido, fazendo piquenique, passeando com o cachorro…

Ilha da Gigoia

ilha da gigoia.jpg

Desconhecida até mesmo pelos cariocas, a Ilha da Gigoia é um recanto de paz e tranquilidade em plena cidade. Basta uma travessia de dois minutos de balsa saindo da Barra da Tijuca e parece que você chegou em outro mundo: sem carros, sem trânsito, sem barulho – exceto o de música ao vivo, que toma conta dos barzinhos aos finais de semana. Apesar de pequena, a ilha é repleta de boas opções gastronômicas e tem até pousadas para quem quiser passar a noite. Para os amantes da natureza, passeios de barco partem regularmente explorando o “Pantanal carioca”, com direito a observação de pássaros e jacarés. Um passeio imperdível para toda a família!

Confeitaria Colombo

confeitaria colombo.jpg

Com mais de 100 anos de história, a Confeitaria Colombo é uma tradicional confeitaria que fica no centro do Rio – hoje com outras filiais espalhadas pela cidade, tanto em Copacabana como na Barra da Tijuca, além de outra no embarque Aeroporto do Galeão. Teve até site internacional dizendo que ele é um dos 10 cafés mais bonitos do mundo! E não é para menos… O local é daqueles que valem mais a pena conhecer pelo espaço em si – mas não deixe de experimentar alguns dos pratos antigos como o Pingo de Tocha ou o tradicional pastel de nata.

bottom of page